terça-feira, 29 de julho de 2008

Ex-funcionário é problema...

Será que o Cuil.com acaba com o Google? Será que ex-funcionário será melhor que o patrão antigo?Ex-funcionário(a) é igual ou pior que ex-namorado(a). Esses dois tipos de ex deveriam ter apenas duas opções: mudar para a Groelândia ou dar cabo da própria vida. Exagerado que sou...

Mas é verdade. Ex-funcionário magoado pensa 24 horas em como se vingar da empresa de onde saiu. Fica lá, só maquinando em como acabar com o negócio do ex-patrão. Quer porque quer destruir tudo o que o chefe antigo construiu. E não é que algumas vezes conseguem ou passam bem perto?

É o que o pessoal do novíssimo site de buscas o Cuil (www.cuil.com) quer fazer: passar à frente do Google. E por que do Google? Porque é de lá que os donos Cuil vieram. Será que conseguem? Se eles repetirem a história de sucesso do Google, conseguem. Afinal de contas, até 10 anos atrás ninguém sabia direito o que significava google.com e Yahoo era sinônimo de site de buscas...

Não está entendendo nada do que escrevi aqui? Sem problemas, leia a matéria abaixo da Reuters que fala sobre esse novo endereço da internet: Cuil.com. Agora... Preste mais atenção nos sites de notícias, hein. Essa história de Cuil foi manchete em tudo que é portal: Uol, Globo.com, Terra etc.


Ex-funcionários do Google criam Cuil, novo serviço de busca

28/07/2008 - 10h39


Por Eric Auchard


MENLO PARK, Estados Unidos (Reuters) - Uma empresa iniciante criada por antigos engenheiros do Google revelou no domingo um novo serviço de buscas na Web cujo objetivo é superar em tamanho o líder do setor, mas que enfrenta uma difícil batalha para mudar os hábitos de navegação dos internautas.

O Cuil (pronunciado como a palavra inglesa "cool") está oferecendo um novo serviço de buscas, em http://www.cuil.com, que a empresa afirma ser capaz de indexar mais rápido e mais barato uma porção da Web bem maior que a do Google, o serviço de buscas que hoje oferece o maior índice online.

O novo rival do Google afirma que seu serviço vai além das técnicas de busca dominantes, que se concentram em links e padrões de tráfego de audiência, e em lugar disso analisa o contexto de cada página e os conceitos por trás de cada pedido de busca dos usuários.

"Nossos significativos avanços em tecnologia de busca permitiram que indexássemos parte muito maior da Internet, colocando quase toda a Web ao alcance de todos os usuários", afirmou Tom Costello, co-fundador e presidente-executivo da Cuil, em comunicado.

Danny Sullivan, um analista de buscas na Web e editor-chefe do site Search Engine Land, disse que o Cuil pode tentar explorar queixas que os consumidores têm sobre o Google -a saber, o fato de que o serviço tenta fazer coisas demais, seus resultados favorecem os sites já populares e ele favorece demais certos sites de referência, como a Wikipedia.

"O momento pode ser propício ao surgimento de um desafiante", disse Sullivan, acrescentando rapidamente que "concorrer com o Google continua a ser uma tarefa desafiadora, como a Microsoft dirá".

A Microsoft, terceira maior empresa norte-americana no mercado de buscas na Web, vem procurando em vão, até o momento, unir forças com o segundo colocado do setor, o Yahoo, a fim de competir com o Google.

O Cuil foi fundado por um grupo de pioneiros das buscas, entre os quais Costello, que criou um protótipo da Web Fountain, a ferramenta de análise de buscas da IBM, e sua mulher Anna Patterson, arquiteta do imenso índice TeraGoogle de páginas da Web, operado pelo Google. Patterson também criou o sistema de buscas para uma empresa mundial de armazenagem de informações empresariais, a Recall, subsidiária do grupo australiano Brambles .
REUTERS AAJ

Um comentário:

daysinha disse...

ontem fiz um monte de testes nesse cuil. ou não vinha o que eu procurava ou o site estava fora d ar.